Bullet Journal: um passo a passo para organizar a sua rotina

Passo a passo para o uso do Bullet Journal

Quem se preocupa com a sua própria produtividade, já experimentou as mais diversas ferramentas para organizar a sua lista de tarefas. E, hoje em dia, com os mais diversos apps e softwares disponíveis, como Google Keep, Evernote, Todoist, e muitos outros, as vezes fica difícil decidir com qual aplicativo ficar… Mas e se eu te disser que, com o Bullet Journal, você só precisa de papel, caneta e um pouco de conhecimento?

O primeiro passo é ter papel e caneta (ou lápis). Não é necessário comprar um caderno para bullet journal. O que você tiver, já vai servir. O que pode facilitar um pouco a sua vida, é comprar um daqueles blocos com as folhas quadriculadas. Dessa maneira fica um pouco mais fácil deixar tudo visualmente mais organizado, mas não é nada essencial. Qualquer caderno ou bloco serve.

O segundo passo é entender que a diferença do Bullet Journaling (como é chamado o hábito de se organizar através do Bullet Journal), para outras formas de utilizar papel e caneta na criação de uma lista, é a seguinte: existem símbolos e métodos para fazer isso. Não é, simplesmente, escrever as suas tarefas do dia. Na verdade, além de fazer o seu planejamento cotidiano, com essa técnica que você verá aqui, você poderá ter um planejamento anual, fácil e rápido.

Mas, então, vamos para o passo a passo.

Primeiro passo: Organizando o seu ano

Antes de mais nada, separe um caderno, apenas para fazer o seu Bullet Journal. Você usará as primeiras folhas para organizar o seu ano. Basta dividir cada folha em duas metades, com um traço de caneta.

Cada uma dessas metades, será usada para organizar a sua rotina mensal. Por isso, nomeie cada uma delas, colocando um mês do ano no título. Obviamente, começando por janeiro, depois fevereiro, etc.

Nesses espaços, você anotará os compromissos que já sabe que tem, como as contas a pagar, aniversários, férias, etc. Obviamente, sempre colocando o dia em que esses compromissos vencem. Aliás, inicie a anotação pelo dia, seguindo essa estrutura:

DIA – COMPROMISSO.

Por exemplo:

4 – Pagar a conta do cartão de crédito

Bullet Journal: Organização anual

Segundo passo: Organizando o mês no seu bullet journal

Depois de criar espaços para todos os meses, você poderá começar a anotar as suas tarefas. Mas lembre-se de que elas também são separadas por meses. Logo, no início de cada mês, você também terá que fazer uma lista mais detalhada dos seus compromissos durante os próximos 30 dias.

Para isso, toda vez que um novo mês iniciar, você deve pegar a próxima página na lista de sequência de uso (a que vem depois da última página que você usou), e numerar cada linha com um dia do mês. Nessas linhas, você anotará os compromissos importantes que tem em cada dia, e já sabe. Como pagar as contas, por exemplo. Veja na imagem como fica:

O exemplo usa apenas 10 dias por questão de espaço. Você deve fazer com todos os dias do mês

Dessa maneira, você tem uma forma rápida de visualizar os seus compromissos mensais, e anotar os novos que aparecerão.

Só então, é que você poderá iniciar a anotação das tarefas do seu dia-a-dia. E, para isso, é bem simples. Basta pegar uma folha em branco (preferencialmente após a folha que você utilizou para organizar o seu mês) e começar a escrever as suas tarefas.

Mas aí tem dois detalhes. O primeiro é que você, para deixar tudo organizado, deve começar escrevendo o dia e o ano daquelas tarefas, como se fosse o título da lista. O segundo, é que você precisa conhecer os símbolos.

Por sorte, veremos eles agora.

Terceiro passo: Os símbolos do Bullet Journal

Como dito, você precisa aprender quais são os símbolos utilizados no Bullet Journaling. Mas por que isso? Bem, porque eles ajudam você a ter agilidade na hora de fazer as suas anotações, pois simbolizam o que significa cada nota.

No Bullet Journal, dividimos as anotações em três tipos: tarefas, eventos e notas.

As tarefas, são coisas que você tem que fazer. Os eventos, são compromissos aos quais você deve comparecer. As notas, são memórias, ideias ou anotações gerais, que não são eventos nem tarefas.

Essa divisão serve para que você possa se organizar mais facilmente. E, por isso, a necessidade de símbolos, que irão sinalizar o que é tarefa, o que é evento e o que é ideia, além de dar uma ideia sobre o progresso delas.

Para ficar mais fácil, veja as imagens.

Você utilizará um ponto para sinalizar uma tarefa incompleta, e depois fará um “X” sobre esse ponto, quando quiser indicar que ela está completa.

Você utilizará um círculo para sinalizar um evento futuro, e depois fará um “X” sobre ele, para indicar que ele já foi atendido.

Você utilizará um tracinho antes da anotação, para indicar que é uma nota, um lembrete ou uma ideia. Ou seja, algo que você não quer esquecer.

Isso é tudo?

Na verdade, não. O Bullet Journaling é uma prática muito rica, e por isso existe tanto para se falar sobre essa técnica, que um post apenas não basta.

Por isso, esse post deu à você o passo a passo para começar a organizar a sua rotina através do Bullet Journal, mas ainda teremos outros posts, onde nos aprofundaremos na metodologia, e traremos as novidades que sempre surgem, pois essa é uma prática que conta com uma comunidade dedicada e criativa, que busca sempre criar e compartilhar novidades sobre produtividade. Portanto, se você gostou do post, compartilhe e fale conosco sobre o que mais gostaria de ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *